You are currently viewing Lições da neurociência para mudar o comportamento

Lições da neurociência para mudar o comportamento

As maneiras como as pessoas definem, buscam e, por fim, têm sucesso ou fracassam na realização de seus objetivos são questões centrais dentro da neurociência que estuda o comportamento humano.

Afinal,  objetivos e mudança de comportamento há muito tempo são objeto de investigação e têm sido adotados com entusiasmo pelas neurociências cognitivas e sociais nas últimas décadas.

Embora relativamente novas, as descobertas neurocientíficas promoveram a compreensão científica dos objetivos e da mudança de comportamento.

Ou seja, aquela história de que não podemos mudar nosso comportamento deixa de existir com o avanço dos estudos sobre o cérebro, que nos mostra que é possível sim!

Ficou interessada? Então confere esse artigo que trago mais informações sobre como a neurociência explica as mudanças de comportamento.

Como é a mudança de comportamento no cérebro?

Vias neurais, compostas de neurônios conectados por dendritos, são criadas no cérebro com base em nossos hábitos e comportamentos. 

O número de dendritos aumenta com a frequência com que um comportamento é executado. 

Imagine essas vias neurais como sulcos profundos ou estradas em nosso cérebro. Nossas células cerebrais se comunicam entre si por meio de um processo chamado “disparo neuronal”.

Quando as células cerebrais se comunicam com frequência, a conexão entre elas se fortalece e “as mensagens que viajam pelo mesmo caminho no cérebro repetidamente começam a ser transmitidas cada vez mais rápido.

Com repetição suficiente, esses comportamentos se tornam automáticos. Ler, dirigir e andar de bicicleta são exemplos de comportamentos complicados que fazemos automaticamente porque as vias neurais foram formadas.

Mas só porque essas vias neurais foram formadas, não significa que estamos presos a esses hábitos para sempre. 

É possível treinar nosso cérebro para criar novas vias neurais. Os caminhos ficam mais fortes com a repetição até que o comportamento seja o novo normal.

A repetição como exercício

Em termos de repetição, estima-se que sejam necessárias 10.000 repetições para dominar uma habilidade e desenvolver a via neural associada. 

De acordo com a neurociência, estima-se que leve de 3 a 6 meses para que um novo comportamento se torne um hábito, embora essa estimativa varie de pessoa para pessoa. 

Mas devemos sempre imaginar que com o tempo, a repetição será recompensada quando seu comportamento se tornar natural. 

Além disso, é importante entender que cada cérebro é diferente. Cada pessoa tem suas próprias experiências únicas que moldaram seu cérebro e continuam a moldá-lo ao longo de suas vidas. 

Portanto, é realmente importante compreender suas experiências e valores únicos, a fim de ajudá-lo a desenvolver um plano claro para alcançar seus objetivos de saúde.

Leia também::: Como tirar o melhor dos seus relacionamentos?

Desenvolva suas vias neurais

Conectar um novo comportamento ao maior número possível de áreas do cérebro ajuda a desenvolver novas vias neurais. 

Ao explorar todos os cinco sentidos explicados pela neurociência, podemos criar “aderência” que ajuda a formar vias neurais.

Todos nós temos experiências que nos mudaram. Podemos relembrar as sensações: as imagens, cheiros, como nos sentimos, etc. 

Ao trabalhar essas conexões, se conecte seus sucessos ou objetivos de saúde a tantos sentidos quanto possível.

A visualização pode ser um sentido muito poderoso que pode ajudar os pacientes a construir novos caminhos neurais para a mudança de comportamento. 

Use a neurociência e mude seu comportamento

Portanto, se há um comportamento que você não gosta, talvez seja hora de mudá-lo. E como prova a neurociência, é possível que você adquira novos hábitos.

Mas o primeiro passo é você querer realmente mudar. E dar o primeiro passo em busca dessa mudança.

Como o tempo, aliada à repetição, o novo comportamento vai se tornando automático e ocupa o espaço deixado pelo comportamento que você desejou mudar.

E para entender mais sobre neurociência e comportamento, confira o vídeo que gravei para meu canal no Youtube onde explico sobre o que chamo de “cérebro chimpanzé”. É só dar o play abaixo!